Adolfo Luxúria Canibal

Adolfo Luxúria Canibal foi fundador do grupo rock Mão Morta, de que é vocalista e letrista, criou espectáculos de spoken word em nome próprio ou sob a designação Estilhaços e integrou o colectivo francês de música electrónica Mécanosphère. Participou na concepção e realização de espectáculos multimédia como Ro-cocó, Faz o Galo, Müller no Hotel Hessischer Hof ou Maldoror, de performances várias, como a neuro-áudio-visual Câmara Neuronal, realizada a partir dos sinais eléctricos emitidos pelo cérebro, The Wall of Pleasure, inaugurada na Rooster Gallery, em Nova Iorque, ou (Des) dobras, para a Boca – Bienal de Artes Contemporâneas, do filme de vídeo-arte S/título (мій голос), do espectáculo de dança No Fim Era o Frio e de espectáculos de comunidade, como os musicais Então Ficamos... e Chão. Foi ainda actor na série para televisão O Dragão de Fumo e em algumas curtas-metragens ou em peças de teatro como Eis o Homem! e também autor e locutor de programas de rádio. Autor de textos diversos para jornais e revistas, publicou, entre outros, os livros de poesia Rock & Roll, Estilhaços, Todas as Ruas do Mundo e No Fim Era o Frio e Outros Textos de Amor e Solidão e o livro-objecto artístico Desenho Diacrónico.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.